Repórter iraquiano que jogou sapatos em Bush está detido

Ele será submetido a testes para apontar presença de álcool ou drogas; canal de TV pediu sua libertação

Redação com agências internacionais

15 de dezembro de 2008 | 11h09

Um funcionário do governo iraquiano, que falou sob condição de anonimato, informou nesta segunda-feira, 15, que Muntazar al-Zaidi, o repórter que atirou seus sapatos contra o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, está detido. O jornalista é também submetido a testes para detectar a presença de álcool e drogas. Bush desviou e não foi ferido . Foi a última visita do presidente norte-americano ao Iraque antes de deixar o cargo. No dia 20 de janeiro, o presidente eleito Barack Obama assume a Casa Branca.   Veja também:   Assista ao vídeo da Associated Press Al-Zeidi é correspondente do canal de televisão Al-Baghdadia, de propriedade iraquiana e com sede em Cairo, no Egito. . "Esse é um beijo de despedida, seu cachorro", disse Al-Zaidi em árabe ao lançar os sapatos. "Isso é pelas viúvas, pelos órfãos e aqueles que foram mortos no Iraque.", gritou o jornalista antes de arremessar os sapatos no presidente americano ontem durante uma entrevista coletiva. Na cultura iraquiana, arremessar os sapatos em alguém é um sinal de extremo desprezo. Bush, acompanhado do primeiro-ministro Nouri al-Maliki, brincou mais tarde sobre o incidente: "Tudo que posso informar é que são do tamanho 43." TV pede libertação do repórter    O canal de televisão "Al-Baghdadia", com sede no Cairo, pediu hoje às autoridades iraquianas a libertação do jornalista "O comitê diretor do canal exige às autoridades a libertação imediata de Zaidi, de acordo com a linha de liberdade de expressão e democracia prometida pelo novo regime iraquiano", indicou o canal em comunicado lido diante das câmeras.   O apresentador acrescentou que a "'Al-Baghdadia' considera as autoridades americanas e iraquianas responsáveis de qualquer medida contra Zaidi, que, caso seja adotada, será uma lembrança da conduta seguida durante a era do ditador (Saddam Hussein) caracterizada pela violência, as detenções indiscriminadas e as valas comuns".O canal pediu aos veículos de comunicação árabes e internacionais para mostrarem solidariedade para com o jornalista iraquiano.Protestos pelo país   Milhares de iraquianos foram às ruas hoje no empobrecido bairro de Cidade Sadr, em Bagdá, exigindo a liberação do repórter. Muitos árabes por todo o Oriente Médio elogiaram o ato e até apontaram o jornalista como um herói. Jornais de todo o mundo árabe imprimiram na capa a foto de Bush desviando dos sapatos. "Bush, Bush, ouça bem: dois sapatos em sua cabeça", gritavam milhares de pessoas em Cidade Sadr. Um seguidor do clérigo xiita Muqtada al-Sadr disse que havia protestos coordenados por todo o país pela libertação e contra o novo pacto de segurança entre Iraque e EUA. Em Najaf, uma cidade sagrada xiita iraquiana, alguns manifestantes lançaram sapatos em patrulhas norte-americanas. As tropas dos EUA não responderam à provocação.Também hoje, um suicida matou pelo menos cinco policiais em um posto de controle no oeste de Bagdá, segundo a polícia iraquiana. O atentado com um caminhão-bomba ocorreu em Khan Dhari e deixou 13 feridos.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueBushrepórter

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.