Represas podem ceder e causar mais enchentes no Haiti

Três aldeias do sul do Haitiestão sob risco de novas enchentes se ocorrerem mais chuvas naregião, alertaram agentes humanitários hoje. Enquanto isso, o número de mortos na enchentes da última semanasubia para mais de 1.400 no Haiti e na vizinha RepúblicaDominicana. Segundo autoridades locais, outras 1.500 pessoasestariam desaparecidas apenas no sul haitiano. Autoridades encontraram 350 corpos na cidade deBodarie, informou a defesa civil haitiana.Enquanto isso, uma equipe do Comitê Internacional da CruzVermelha retornou no fim da noite de ontem de uma viagem na qualavaliou a destruição e informou ter visto represas perto de trêsaldeias que poderiam ceder se houvesse mais chuvas, disseBernard Barrette, um porta-voz da entidade.O grupo visitou uma das aldeias, Bawa, e em um povoado deaproximadamente 500 habitantes, dos quais pelo menos 65 tinhammorrido ou estavam soterrados, comentou Barrette. Ele disse quea equipe sobrevoou diversos vilarejos em torno de Mapou e esperavoltar para visitar outras áreas duramente atingidas. A Cruz Vermelha estima em cerca de 1.500 o número dedesaparecidos.Na vizinha República Dominicana, soldados sepultaram corpos emuma ilhota circundada por crocodilos no sábado. Enquanto isso,médicos alertavam para a possibilidade de disseminação dedoenças por causa das condições das valas comuns onde foramenterradas muitas vítimas.Autoridades locais e agências humanitárias enviaram ajuda paraaplacar "um dos piores desastres naturais da história do Caribe" disse o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos,César Gaviria.Previsões de mais chuvas não se confirmaram no sábado, mas umterremoto de média magnitude atingiu parte da área de desastrena região centro-sul da Ilha Hispaniola, dividida por Haiti eRepública Dominicana. Não há informações sobre feridos ou danoscausados pelo tremor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.