Representante chinês diz que viaja a Taiwan com intenções sinceras

O principal representante da China responsável pelas relações com Taiwan chegou à ilha nesta quarta-feira para dar início a conversas históricas, cujo objetivo é conquistar os taiwaneses que ainda desconfiam de um acordo comercial pendente e das intenções chinesas.

FAITH HUNG, REUTERS

25 de junho de 2014 | 19h09

"Levaram três horas para eu voar de Pequim para cá, mas levaram 65 anos para os dois lados separados pelo Estreito de Taiwan cruzarem esta distância", disse Zhang Zhijun, diretor do Escritório de Assuntos Taiwaneses da China, enquanto se reunia com o Ministro de Assuntos Domésticos de Taiwan, Wang Yu-chi.

"Venho aqui cheio de sinceridade no coração", afirmou Zhang, o primeiro chefe de seu organismo a visitar a ilha democrática e autônoma para onde nacionalistas derrotados fugiram depois de perder a guerra civil para a China comunista em 1949.

Sua viagem de quatro dias não irá se concentrar na capital Taipei, mas no centro e no sul mais pobres, que se beneficiaram menos do comércio com a China e onde o sentimento pró-independência é mais forte.

Embora a China considere Taiwan uma província rebelde e nunca tenha descartado o uso da força para assumir o controle da ilha, as relações melhoraram significativamente depois que o presidente Ma Ying-jeou, simpático à China, assumiu em 2008.

Mais conteúdo sobre:
CHINATAIWANDIPLOMACIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.