Representante dos EUA se reúne com negociador do Irã

O encontro direto entre o subsecretário de Estado norte-americano, William J. Burns, com o negociador nuclear iraniano hoje, em Genebra, marcou uma das reuniões de mais alto nível entre os dois países nas últimas décadas. Um funcionário dos Estados Unidos confirmou que Burns se reuniu separadamente, durante o almoço, com o negociador iraniano Saeed Jalili no local onde representantes do Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) - EUA, Rússia, China, França e Grã-Bretanha - mais a Alemanha, o chamado "sexteto", discutem com Jalili o programa de enriquecimento de urânio do Irã.

AE, Agencia Estado

01 de outubro de 2009 | 12h27

O funcionário norte-americano não falou sobre o conteúdo ou atmosfera do encontro. Negociadores da Rússia e da China, bem como o chefe de política externa da União Europeia (UE), Javier Solana, também mantiveram reuniões privadas com Jalili durante o intervalo de duas horas para o almoço, disse Cristina Gallach, porta-voz de Solana.

A reunião desta quinta-feira na Suíça marca a primeira participação plena dos EUA em eventos desse tipo e acontece poucos dias depois da revelação de que o Irã está desenvolvendo uma segunda instalação para o enriquecimento de urânio.

Encontro

Segundo um diplomata ocidental, familiarizado com as conversações, a sessão matutina do encontro foi rotineira, com cada lado apresentando conhecidas posições de negociação. A questão central, dizem os diplomatas, é se o Irã vai interromper seu comportamento passado e concordar em participar de negociações sérias sobre seu programa nuclear e também sobre uma série de outros assuntos, dentre eles a segurança regional. "A atmosfera é boa, é muito prática", disse Gallach. "Mas o momento importante vem agora" quando os negociadores voltam para a sessão vespertina, disse ela.

O sexteto acredita que a divulgação de uma nova instalação nuclear iraniana forneceu um novo motivo para persuadir o Irã a concordar com a proposta pela qual o país interromperia a expansão de seu programa enriquecimento de urânio em troca da não imposição de novas sanções da ONU. Esta pausa temporária poderia abrir caminho para conversações mais amplas, como o oferecimento ao Irã de benefícios comerciais e econômicos em troca de uma solução permanente da questão nuclear.

Os países do sexteto também esperam garantias do Irã de que o país vai abrir, rápida e completamente, suas instalações nucleares a inspetores internacionais. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
programa nuclearIrãEUAGenebra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.