Representante real na Austrália envolvido em escândalo

O representante da rainha da Inglaterra na Austrália enfrenta pressão para renunciar, depois que um relatório da Igreja Anglicana revelou mais alegações de que ele teria falhado em agir contra um conhecido pedófilo. Políticos e grupos comunitários se uniram para exigir a remoção do governador-geral Peter Hollingworth, depois que a Igreja Anglicana do Estado de Queensland informou que ele permitiu que um sacerdote continuasse com seu ministério, mesmo sabendo que se tratava de um molestador de crianças.Na época, Hollingworth era um arcebispo anglicano. O primeiro-ministro John Howard, responsável pela indicação de Hollingworth, vêm defendendo o governador-geral, mas o próprio governo de Howard já abandonou a causa. Hollingworth vem se esquivando das pressões para que renuncie desde que foi acusado, em fevereiro de 2002, de tentar acobertar casos de abuso sexual em sua diocese. Ele apenas reconheceu ?erros de julgamento?.O governador-geral tem um papel cerimonial. Segundo a Constituição australiana, a rainha Elizabeth II é chefe de Estado, e o governador-geral a representa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.