Representantes de Lobo e da OEA discutem retorno de Zelaya a Honduras

Na terça, presidente disse que mandatário deposto pode voltar ao país 'quando quiser'

Agência Estado e Associated Press

07 de julho de 2010 | 13h51

TEGUCIGALPA - O ex-presidente de Honduras, Manuel Zelaya, que está exilado na República Dominicana, pode voltar ao seu país natal "quando quiser", afirmou o presidente Porfirio Lobo, logo após uma reunião com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, realizada na terça, em Miami.

 

A promotoria hondurenha processou Zelaya por sete crimes e os tribunais emitiram três mandados de prisão contra ele. Representantes de Lobo e de Zelaya se reúnem nesta quarta com Insulza, em Washington, para analisar o retorno do ex-presidente ao país.

 

Uma comissão da OEA examina o caso de Honduras, que foi afastado da organização logo após a deposição de Zelaya, em junho de 2009. O grupo, que chegará nesta semana a Tegucigalpa, será composto por delegados do Canadá, Equador, Estados Unidos, México, Peru, Suriname e dos países centro-americanos.

Mais conteúdo sobre:
HondurasManuel ZelayaOEA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.