Repressão à guerrilha deixou 40 mil mortos no Peru

A Comissão da Verdade e Reconciliação do Peru calcula que entre 40 mil e 60 mil pessoas desapareceram entre 1980 e 2000, quando as forças de segurança do governo peruano reprimiram a brutal insurgência do grupo guerrilheiro Sendero Luminoso, disse o presidente da comissão.Anteriormente, calculava-se em torno de 25 mil o número de mortos e desaparecidos, segundo a comissão, que está na fase final de uma investigação de dois anos, período no qual quase 18 mil testemunhas foram ouvidas.De acordo com o presidente da comissão, Salomón Lerner Fabres, as investigações indicam que "há um mínimo de 40 mil mortes, e 60 mil seria o máximo". As cifras incluem as 7 mil ou 8 mil pessoas desaparecidas, em sua maioria nas mãos das "forças de ordem".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.