Repressão a protestos no Iêmen deixa 14 mortos

Pelo menos 14 pessoas morreram na repressão da polícia do Iêmen a manifestantes que se instalaram na praça principal da cidade de Taiz, no sul do país. Segundo fontes médicas, as forças de segurança chegaram, inclusive, a abrir fogo para dispersar o protesto promovido pelos opositores ao regime do presidente Ali Abdalá Saleh. As manifestações em Taiz, ex-capital e principal centro industrial de Iêmen, vêm no embalo da "primavera árabe" ocorrida em outros países da região. Outras cidades do Iêmen também são alvo de protestos contra o governo Saleh.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.