Repressão deixa 1 morto na Síria, dizem ativistas

Um homem foi morto ontem no subúrbio de Damasco, capital da Síria, durante uma ação das forças de segurança em várias cidades para abafar protestos contra o presidente Bashar Assad, de acordo com informações de ativistas. As vilas ocupadas pelas forças do governo são da província de Deir el-Zour, a leste. Prisões também foram relatadas na província de Idlib, ao norte. Tiros intermitentes foram ouvidos em várias regiões pelo país.

AE, Agência Estado

28 de agosto de 2011 | 10h57

Ativistas disseram que forças de segurança atiraram contra manifestantes que saíam da mesquita de al-Rifai, no distrito de Kfar Sousa, depois de eles terem tentado realizar um protesto. Vários ficaram feridos. O ataque provocou protestos em várias outras partes da capital e seus subúrbios durante o sábado.

O ministro do interior da Síria pediu a moradores da capital que não respondam aos pedidos divulgados em redes sociais da internet para realizar protestos em praças de Damasco "por sua própria segurança", depois de alguns dos mais intensos protestos lá desde o início do levante de cinco meses contra Assad.

Grupos de direitos humanos disseram que as forças de Assad mataram mais de duas mil pessoas desde que o levante começou em março, em linha com a onda de revoltas que varreu o mundo árabe. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriarepressãoconfrontosmortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.