Repressão deixa mais 6 mortos na cidade de Deraa

Segundo relatos de grupos locais de defesa dos direitos humanos, mais seis pessoas foram mortas ontem na cidade síria de Deraa, epicentro dos protestos contra o governo de Bashar Assad. Ao menos 400 pessoas teriam morrido no país desde o início dos protestos, denunciou um grupo sírio de defesa dos direitos humanos.

, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2011 | 00h00

Testemunhas em várias cidades sírias relataram mais casos de graves abusos do regime Assad para intimidar a população e evitar novos protestos. Segundo relatos, centenas teriam sido detidos ontem em incursões e bloqueios da polícia. Há relatos de que forças de segurança teriam disparado contra pessoas que tentavam levar corpos de opositores mortos das ruas. Até mesmo caixas d"água seriam alvejadas para impor o silêncio.

Uma testemunha da cidade de Deraa disse à agência Associated Press ter visto policiais atirarem à queima-roupa em um homem que saía da mesquita. Ele teria gritado "Chega! Chega! Parem de matar seus irmãos!" Ao menos 34 opositores teriam sido mortos em Deraa. / AP e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.