Repressão marca ''dia de fúria'' bareinita

Forças de segurança do Bahrein dispersaram ontem protestos em diversas regiões do país. Segundo os opositores do rei Hamad bin Isa al-Khalifa, 1 pessoa morreu e outras 50 ficaram feridas. O Al-Wefaq, principal movimento de oposição, afirmou que Isa Mohammed, de 71 anos, tinha câncer e acabou sufocado quando uma bomba de gás lacrimogêneo caiu dentro de sua casa, em Sitra. A maioria dos ferimentos foi provocada por disparos com munição não letal, de acordo com o movimento. As manifestações ocorreram apesar da proibição imposta na semana passada, marcando o "dia de fúria" no país. Em um mês de distúrbios, pelo menos 20 pessoas morreram. O governo rejeitou o pedido de uma investigação sobre os assassinatos.

AP e Reuters, O Estado de S.Paulo

26 de março de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.