República Checa terá 2º turno na eleição presidencial

As primeiras eleições diretas realizadas na República Checa vão ter segundo turno, após os eleitores escolherem dois candidatos rivais: Milos Zeman, ex-primeiro-ministro de esquerda, e Karel Schwarzenberg, ministro de Relações Exteriores conservador, como os dois principais competidores no pleito.

AE, Agência Estado

12 de janeiro de 2013 | 13h57

Com 96% das urnas apuradas, após a rodada de dois dias do primeiro turno da eleição, Zeman aparece com 24,4% dos votos, enquanto Schwarzenberg está com 22,8%, afirmou o Escritório de Estatísticas do país. A eleição foi encerrada às 11h (de Brasília).

Zeman, de 69 anos, e Schwarzenberg, de 75 anos, se enfrentarão novamente no dias 25 e 26 de janeiro. Ambos os candidatos são favoráveis à União Europeia. O vencedor da eleição substituirá Vaclav Klaus, que encerrará seu segundo e final mandato presidencial em março.

Embora os poderes dos presidentes checos, que eram escolhidos no passado por legisladores do país, sejam em grande parte cerimoniais, eles exercem autoridade na política externa e nomeações do banco central. Eles também pode conceder anistia e indulto. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.