Bela Szandelszky/AP
Bela Szandelszky/AP

República Tcheca desiste de escudo antimíssil dos EUA

Plano anterior dava papel maior aos tchecos, que ficariam apenas com um centro de alerta

Agência Estado

15 de junho de 2011 | 09h42

PRAGA - Autoridades norte-americanas e tchecas afirmaram nesta quarta-feira, 15, que a República Tcheca não tomará mais parte nos planos de defesa antimíssil dos Estados Unidos. O ministro da Defesa tcheco, Alexander Vondra, afirmou que seu país se retirará e terá um papel menor na iniciativa dos EUA.

O governo do então presidente George W. Bush propôs inicialmente que dez interceptadores de mísseis fossem instalados na Polônia e um radar avançado na República Tcheca. Porém a Rússia se opôs duramente à iniciativa e afirmou que posicionaria seus mísseis perto da Polônia, se o plano se confirmasse.

Em setembro de 2009, o presidente Barack Obama desistiu do plano e apresentou uma proposta nova, com um papel menor para os tchecos, que teriam um centro de alerta que iria reunir e analisar informações de satélites e detectar mísseis capazes de ameaçar países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Vondra disse que a República Tcheca deseja se envolver, mas "definitivamente não dessa maneira". "Eu diria que nós resolvemos (recusar) isso de uma maneira elegante", relatou.

Vondra concedeu entrevista hoje, após um encontro com o vice-secretário de Defesa dos EUA, William Lynn. Os dois afirmaram que será avaliada a possibilidade de os tchecos participarem da iniciativa no futuro. "Nós certamente temos ideias, mas é muito cedo para falar sobre elas", comentou o ministro tcheco. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.