Wether Santana/ Estadão
Wether Santana/ Estadão

República Tcheca fecha bares, restaurantes e escolas até novembro

O país, que foi um dos mais bem-sucedidos na contenção do vírus no início da pandemia de covid-19, agora é a nação europeia mais afetada

EFE, O Estado de S.Paulo

13 de outubro de 2020 | 01h44

PRAGA - O governo da República Tcheca decretou nesta segunda-feira, 12, o fechamento imediato de todas as escolas, bares e restaurantes até o dia 3 de novembro, para conter o aumento do número de casos de covid-19 no país.

Um pacote de restrições, destinado principalmente a escolas e atividades de lazer, já tinha entrado em vigor nesta semana, para conter o avanço do novo coronavírus. No entanto, o aumento exponencial do número de infecções levou o governo tcheco a optar por medidas mais rigorosas até o final do estado de emergência, declarado até o dia 3 de novembro.

“Não podemos nos dar o luxo de falhar, então, essa tentativa terá que ser bem-sucedida”, explicou o primeiro-ministro do país europeu, o magnata Andrej Babis.

A República Tcheca, que conta com 10,7 milhões de habitantes, foi um dos países mais bem-sucedidos na contenção do vírus no início da pandemia de covid-19, mas agora é a nação europeia mais afetada, com quase 500 casos por 100 mil habitantes registrados nas duas últimas semanas, na frente da Bélgica (402,5) e da Espanha (308,1).

Até agora, as escolas do país estavam funcionando de acordo com um sistema híbrido, que combinava aulas presenciais e a distância, mas o governo considerou mais prudente encerrar, temporariamente, todas as atividades ligadas ao setor.

Os bares também terão que fechar as portas. Os restaurantes, apesar de não poderem receber clientes, estão autorizados a preparar pratos para a viagem.

O consumo de álcool nas ruas, por sua vez, foi totalmente proibido, o número de pessoas reunidas em espaços ao ar livre não pode passar de seis e o uso de máscara agora é obrigatório nos meios de transporte.

O objetivo é reduzir a taxa de transmissão de 1,3 para 0,8, de acordo com o ministro da Saúde, Roman Prymula. Nesta segunda, o número de mortes por covid-19 na República Tcheca chegou a 1.045./ EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.