Republicano ataca chefe do banco central

Rick Perry disse que presidente do FED não é bem vindo no Texas e provoca reação entre Republicanos

Gustavo Chacra, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2011 | 00h00

CORRESPONDENTE / NOVA YORK - Três dias depois de ter iniciado a sua campanha para as primárias republicanas, o atual governador do Texas, Rick Perry, atacou o presidente do Federal Reserve (FED, o banco central dos EUA) em um discurso em Iowa, provocando reação até mesmo de integrantes do Partido Republicano.

"Se esse cara imprimir mais dinheiro de agora até a eleição, não sei o que vocês farão aqui em Iowa. Mas nós o trataremos muito mal no Texas. Imprimir dinheiro como jogo político neste momento da história americana é uma traição, na minha opinião", afirmou Perry em comício, referindo-se a um possível programa de estímulo da economia similar a dois realizados desde a crise de 2008.

A declaração provocou repúdio não apenas de integrantes do FED, como também de Karl Rove, estrategista político do ex-presidente George W. Bush, rival de Perry dentro do Partido Republicano. "Essa não foi uma declaração de uma pessoa que queira chegar à presidência. Não dá para chamar o presidente do FED de traidor. Além disso, se eleito, Perry precisará conviver com Bernanke, já que o mandato dele independe do presidente", disse Rove na Fox News. "Ele precisará lutar para não ser associado à imagem de cowboy do Texas", acrescentou.

Perry é um dos favoritos nas primárias republicanas por seu histórico de criação de empregos no Texas. Recentemente, a taxa de desemprego subiu no Estado. Economistas atribuem seu sucesso anterior à elevação do preço do petróleo, que favoreceu o maior produtor dos EUA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.