Republicano confessa sabotagem na eleição de 2002

O ex-presidente de um grupo que prestava consultoria para o Partido Republicano declarou-se culpado de congestionar as linhas telefônicas do Partido Democrata em diversas cidades do Estado americano de New Hampshire no dia das eleições parlamentares de 2002. A operação envolveu mais de 800 telefonemas gerados por computadores em 5 de novembro de 2002, dia no qual os eleitores decidiram sobre diversos assuntos importantes, inclusive o representante do Estado no Senado. O republicano John Sununu venceu a democrata Jeanne Shaheen por menos de 20.000 votos. A sabotagem durou cerca de uma hora e meia. As linhas congestionadas podiam ser usadas pelos eleitores para programar caronas para ir às urnas. Os democratas denunciaram a sabotagem como um esforço organizado, em escala estadual, que pode ter afetado o resultado das eleições locais.Allen Raymond, ex-presidente da consultoria GOP Marketplace, com sede em Virgínia, declarou-se culpado em audiência em uma corte federal. Ele responde por conspiração para assédio telefônico. A sentença máxima para o crime é de cinco anos de reclusão. O julgamento está marcado para novembro.

Agencia Estado,

01 de julho de 2004 | 20h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.