Republicano diz que Congresso limitará negociação com Havana

Líder da oposição afirma que deputados aprovarão restrições no orçamento para inviabilizar promessas de Obama

O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2015 | 02h02

WASHINGTON - O presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, o republicano John Boehner, afirmou ontem que o Congresso tentará inviabilizar algumas medidas adotadas pelo governo de Barack Obama com relação a Cuba. Os entraves seriam colocados no orçamento que começará a ser discutido no fim do mês.

Em entrevista à rede de TV Fox News, Boehner lamentou a decisão de Obama de retirar Cuba da lista de países que patrocinam o terrorismo, elaborada anualmente pelo Departamento de Estado dos EUA e serve de base para várias sanções.

"O presidente continua dando, dando, dando. Eu quero ver o que os irmãos Castro estão dando. Eles não fizeram nada. Acho que isso não é sensato. Não é útil e não nos levará a lugar nenhum", afirmou Boehner.

Questionado sobre o que fará a Câmara dos Deputados, que é controlada pelo Partido Republicano, Boehner afirmou que existe um processo de alocação orçamentária que começará a ser debatido em duas semanas.

"Espero que, no processo legislativo que tratará dos gastos públicos, haja um acréscimo de provisões que congelarão a capacidade do presidente de realizar muitas das coisas que disse que fará. Será um assunto muito discutido, tanto aqui na Câmara dos Deputados quanto no Senado", disse o líder republicano.

Viagem. O governador democrata do Estado de Nova York, Andrew Cuomo, se tornará hoje o primeiro governador a realizar uma visita oficial a Havana. Ele viaja ao lado de uma comitiva de empresários e diretores de várias empresas, entre elas MasterCard, Pfizer e a companhia aérea JetBlue. / Reuters e AP

Tudo o que sabemos sobre:
CubaEUAO Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.