Republicano Rand Paul apoia status legal para imigrantes

O senador republicano Rand Paul estabeleceu um plano que visa conceder status legal aos imigrantes ilegais e uma eventual via para a cidadania, em um movimento que poderia reforçar seu perfil nacional, mas aborrecer alguns de seus apoiadores conservadores. O político não descartou a possibilidade de concorrer à Presidência dos EUA em 2016.

Agência Estado

20 de março de 2013 | 02h53

O senador de Kentucky é um membro proeminente da ala Tea Party do Partido Republicano. Sua posição pode dar cobertura política a outros conservadores para revisar as leis de imigração no Senado e dar status legal a milhões de trabalhadores sem documentos.

"Nós não vamos deportar 12 milhões de imigrantes ilegais", disse Paul, em um discurso ontem na Câmara Hispânica de Comércio dos EUA. "Se você deseja trabalhar, se você deseja viver e trabalhar nos Estados Unidos, então vamos encontrar um lugar para você."

Paul evitou dizer explicitamente a palavra "cidadania", ao descrever o seu plano, em grande parte porque se tornou uma palavra politicamente muito carregada.

Seu plano visa aumentar a segurança na fronteira e fornecer vistos de trabalho para imigrantes sem documentos que vivem nos EUA. Eles eventualmente seriam autorizados a pedir a cidadania sem ter de retornar aos seus países de origem, mas esses pedidos não seriam considerados à frente de pessoas que já esperam pela imigração legal.

Rand Paul apresentou seu plano de imigração como contraponto ao senador Marco Rubio, da Flórida, outro possível candidato republicano para 2016, que tem sido o centro das atenções por seu trabalho sobre a legislação de imigração.

Paul prometeu ainda apresentar um plano para equilibrar o orçamento federal em metade do tempo estabelecido pelo deputado Paul Ryan, de Wisconsin, outro potencial candidato presidencial, que é o autor do modelo orçamentário dos republicanos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIMIGRAÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.