Republicanos aceitam plano para isenção sobre payroll

O líder da maioria republicana na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, John Boehner, concordou em votar na próxima semana uma prorrogação parcial dos benefícios federais para desempregados e a isenção tributária sobre a folha de pagamentos por dois meses, segundo assessores na Câmara e no Senado.

Agência Estado

22 de dezembro de 2011 | 19h57

A decisão segue-se à crescente pressão para que os deputados republicanos encerrassem o impasse que ameaçou fazer com que os trabalhadores arcassem com um aumento de impostos no próximo ano.

O Congresso norte-americano passou a semana num impasse após os deputados republicanos insistirem numa prorrogação dos benefícios por mais um ano. "O projeto do Senado estende o prazo por apenas dois meses, mas as empresas recolhem seus impostos trimestralmente. Então os empregadores terão um custo com essa decisão", criticou o líder dos republicanos na Câmara, John Boehner. Segundo ele, isso prejudicaria as pequenas empresas.

Hoje, entretanto, o líder da minoria republicana no Senado, Mitch McConnell apelou aos parlamentares para que aprovassem uma prorrogação de curto prazo, somando-se ao número cada vez maior de senadores republicanos preocupados com o fim dos benefícios aos trabalhadores.

Segundo assessores nas duas casas do Congresso, o projeto da Câmara incluirá uma pequena provisão técnica para resolver o problema enfrentado pelas empresas com uma prorrogação por dois meses, conforme o texto já aprovado no Senado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUApolíticapayrollisenção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.