Republicanos atacam Obama e prometem empregos

Durante debate, pré-candidatos à presidência atacaram reforma do sistema de saúde e criação de empregos

Agência Estado

08 Setembro 2011 | 02h58

Da esquerda para a direita, os pré-candidatos republicanos: Rick Santorum, Newt Gingrich, Michele Bachmann, Mitt Romney, Rick Perry, Ron Paul, Herman Cain e Jon Huntsman

 

WASHINGTON - Os oito pré-candidatos à presidência do Partido Republicano dos EUA, realizaram na quarta-feira, 7, o primeiro debate, na Biblioteca Ronald Reagan, em Washington visando às eleições de 2012.

 

Todos eles atacaram pontos como a reforma do sistema de saúde, a criação de empregos e a necessidade de mais segurança na fronteira com o México.

 

Apesar dos oito pré-candidatos, a disputa foi mais acentuada entre Rick Perry, governador do Texas, e Mitt Romney, ex-governador de Massachusetts. Eles são os dois pré-candidatos mais bem posicionados nas pesquisas.

Perry relacionou o crescimento de seu Estado a seu compromisso em baixar tributos. Ele chegou a afirmar que Romney tem um dos piores históricos na criação de empregos.

 

O ex-governador de Massachusetts, por sua vez, disse que o texano se aproveita das vastas reservas de petróleo do Estado, que não tem impostos sobre a renda.

Apenas um dia antes de o presidente Barack Obama apresentar no Congresso seu plano para reduzir o desemprego, atualmente em 9,1%, Perry ressaltou que criou "1 milhão de empregos" em seu Estado, enquanto o país "perdeu dois milhões".

 

Romney destacou que o "país vive uma crise de confiança e de liderança", e que seu plano para gerar vagas baseia-se na redução de impostos, na produção de mais energia e na aplicação de sanções à China por suas práticas comerciais "injustas".

 

As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
EUA Republicanos debate

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.