Republicanos iniciam escolha de candidato

Apenas sete dos pretendentes da legenda à disputa foram convidados, entre eles, Sarah Palin

Denise Chrispim Marin, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2011 | 00h00

Entre trapalhadas, nomes indefinidos e atraso, a oposição republicana inicia hoje o processo de escolha do seu candidato à presidência dos Estados Unidos em 2012 com um debate na cidade de Manchester, Estado de New Hampshire.

Apenas sete dos pretendentes da legenda à disputa com o presidente americano, Barack Obama, foram convidados. O ícone do Tea Party, a ex-governadora do Alasca Sarah Palin, não estava na lista dos convidados, nem o mórmon Jon Huntsman, ex-embaixador dos EUA na China. A polarização do debate no Saint Anselm College já se antecipava forte ontem entre os ex-governadores Tim Pawlenty, de Minnesota, e Mitt Romney, de Massachusetts.

No espaço mais confortável para os republicanos na mídia americana, a rede televisão Fox News, Pawlenty atacou Romney com a pior das ofensas: a de ter inspirado o democrata Obama na formulação de sua polêmica reforma dos Planos de Saúde.

Em recente pesquisa Washington Post-ABC News, Mitt Romney mostrou ser o único dos republicanos capaz de vencer Obama em 2012, com 49% das intenções de voto diante de 46% do atual presidente. Pawlenty teria 41% e Obama, 50%.

"Nas palavras do próprio presidente, a larga medida da reforma de Planos de Saúde reflete o que aconteceu em Massachusetts. O que não entendo é que ambos (Obama e Romney) continuam defendendo isso", declarou Pawlenty.

O perfil dos pré-candidatos aponta para uma radicalização total dos discursos durante a campanha de 2012. Obama leva a vantagem de estar no poder e de ter saído antes na disputa, sem se preocupar com gastos em campanhas primárias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.