Republicanos propõem alta de impostos para mais ricos

O presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, o republicano John Boehner, apresentou uma proposta para aumentar os impostos para cidadãos milionários, marcando um avanço nas negociações orçamentárias com o presidente Barack Obama. A proposta sugere um potencial cenário para que se evite o corte de gastos e o aumento de impostos no fim do ano, processo conhecido como abismo fiscal.

AE, Agência Estado

17 de dezembro de 2012 | 09h14

A proposta, que o republicano apresentou confidencialmente a Obama na sexta-feira, pede um aumento de US$ 1 trilhão em receitas com impostos durante dez anos, montante acima dos US$ 800 bilhões que Boehner havia proposto anteriormente, e um corte de gastos de cerca de US$ 1 trilhão.

Boehner sugere a realização do processo em duas etapas. Na primeira, seria decretado um plano de redução de déficit de baixa escala até o fim do ano e na segunda fase, no ano que vem, os parlamentares realizariam uma reformulação do código fiscal e de programas sociais, usando um acordo final como guia.

Inicialmente, Boehner havia oferecido um aumento de US$ 800 bilhões em receitas que seriam obtidos, principalmente, com o fechamento de rombos e o fim de deduções para os mais ricos. O republicano havia se recusado a permitir um aumento dos impostos para cidadãos de qualquer nível de renda.

Em sua nova proposta, pela primeira vez Boehner se ofereceu formalmente para afastar a oposição de seu partido ao aumento de impostos. A nova proposta estenderia todos os impostos atuais e aumentaria as tarifas apenas para os que cidadãos têm renda maior que US$ 1 milhão, que passariam de 35,0% para 39,6%.

Isso conseguiria arrecadar quase US$ 1 trilhão em receita ao também fechar certos rombos fiscais e limitar as deduções, segundo autoridades republicanas. Mostrando que os dois lados estão convergindo, Obama recuou na semana passada das suas exigências iniciais para aumento de receita, dizendo que aceitaria US$ 1,4 trilhão e sinalizando que aceitaria ainda menos.

Em troca, Boehner pediu cortes de gastos de pelo menos US$ 1 trilhão em programas sociais como o Medicare. Representantes do Partido Republicano disseram que uma opção principal é a proposta para desacelerar o crescimento dos benefícios da Seguridade Social implantando uma nova fórmula para o aumento do custo de vida. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
EUAtributaçãomais ricos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.