Brian Snyder/Reuters
Brian Snyder/Reuters

Republicanos vão às urnas em Iowa para escolher candidato à Presidência

Mitt Romney, Ron Paul e Rick Santorum lideram pesquisas em eleição crucial para testar candidaturas

BBC Brasil, BBC

03 de janeiro de 2012 | 06h57

Seis candidatos republicanos disputam nesta terça-feira, 3, a preferência do eleitorado no Estado americano de Iowa, que abre o calendário eleitoral dos Estados Unidos visando às eleições presidenciais em novembro.

Os pré-candidatos Mitt Romney, Ron Paul e Rick Santorum lideram as pesquisas como possíveis indicados do Estado à candidatura republicana, mas o resultado permanece imprevisível.

Cerca de 120 mil eleitores se reunirão em escolas, residências e prédios públicos para os chamados caucuses, ou assembleias, para votar naquele que creem mais apto a enfrentar o presidente Barack Obama na disputa pela Casa Branca.

Serão cerca de 1,7 mil reuniões em 99 condados de Iowa, nas quais os eleitores escolherão os 28 deputados que se comprometerão a votar em determinado candidato na Convenção Nacional Republicana na Flórida em agosto.

Com sua população majoritariamente branca e rural beirando os três milhões e meio - que muitos consideram pouco representativo dos EUA -, o Estado de Iowa tem lugar especial no pleito americano, sendo visto como um teste crucial para a viabilidade de uma candidatura.

Uma boa colocação na prévia de Iowa representa um impulso para as votações seguintes. Muitas vezes os vencedores no Estado acabam sendo os indicados de seus partidos, como ocorreu com o republicano George W. Bush em 2000 e o próprio democrata Obama - ambos chegaram à Presidência.

Corpo-a-corpo

Na segunda-feira, os pré-candidatos tiveram sua última chance de fazer o corpo-a-corpo no Estado, debatendo com eleitores em locais públicos, como cafés, pizzarias e recepções de hotel.

O ex-governador da Pensilvânia Rick Santorum, que subiu nas pesquisas nos últimos dias, discursou em frente a um café lotado de ouvintes interessados em Polk City.

O candidato de visão social conservadora vem tentando ganhar o voto evangélico do Estado, apelando para uma mensagem de rejeição ao casamento gay e o aborto, mesmo que em casos de estupro.

Ron Paul, o deputado texano que se beneficiou de um sopro nas pesquisas antes do Natal, reafirmou suas políticas de cunho ligeiramente liberalizante.

Em campanha nas cidades de Des Moines, Mason City, entre outras, Paul, 76, defendeu o fim das intervenções americanas em outros países e a extinção da autoridade monetária do país, o Federal Reserve.

Já o líder nas pesquisas, Mitt Romney, cuja candidatura estancou em Iowa em 2008, prometeu "paixão e força" se conquistar o direito de disputar a eleição contra Obama.

"Quero ver uma América unida", disse. "Vejo um presidente que se tornou um grande divisor, um grande reclamão, que vive dando desculpas e bota a culpa nos outros."

O bem-sucedido empresário e ex-governador de Massachussetts tem conseguido se manter no topo das pesquisas, mas muitos dentro do partido o criticam pelo que consideram poucas credenciais republicanas.

Na segunda-feira, Rick Santorum atacou Mitt Romney, afirmando que a nação precisa de um verdadeiro comandante, e não alguém simplesmente com "experiência executiva".

Bateria de primárias

Analistas afirmam que Romney tem condições de ganhar em Iowa principalmente se o voto evangélico se fragmentar entre diversos candidatos - incluindo Santorum, o governador do Texas, Rick Perry, e a deputada por Minnesota Michele Bachmann.

Uma pesquisa de opinião publicada no domingo pejo jornal Des Moines Register indicou que Romney tem 25% da preferência do eleitorado, seguido de perto por Ron Paul, com 22%, e à frente de Rick Santorum, com 15%.

O sexto candidato, Newt Gingrich, ex-líder da Câmara, que teve uma subida espetacular em novembro e dezembro, admitiu que um série de ataques através de publicidade erodiram seu apoio no Estado.

Depois de Iowa, o próximo Estado a realizar uma primária é New Hampshire, no dia 10. Mitt Romney é considerado um peso-pesado nessa eleição.

Ao longo dos próximos meses, cada Estado americano escolherá seu pré-candidato, tendo como um ponto alto a chamada Super Terça-Feira, no dia 6 de março, quando mais de dez Estados realizarão prévias simultâneas.

O vencedor será indicado candidato do partido em agosto.

Na campanha contra Obama, o nomeado republicano tentará ganhar os votos de eleitores preocupados com a lenta recuperação econômica, depois da recessão que começou no fim do governo de George W. Bush e terminou oficialmente em 2009.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.