Republicanos vão tomar medidas contra plano de imigração

O presidente da Câmara dos Representantes, John Boehner, prometeu responder à decisão do presidente americano Barack Obama de contornar o Congresso e proteger até cinco milhões de imigrantes ilegais de deportação, dizendo que a ação iria "apenas encorajar mais pessoas a vir aqui ilegalmente, pondo suas vidas em risco".

Estadão Conteúdo

21 de novembro de 2014 | 18h51

Boehner também afirmou que a decisão de Obama de agir unilateralmente acabou com as chances de aprovar um plano de imigração com o Congresso. "Com esta ação, o presidente optou por sabotar deliberadamente qualquer chance de aprovar as reformas bipartidárias, que ele alega buscar", declarou. Os comentários aumentaram as tensões entre o líder republicano na Câmara e Obama.

A Comissão de Orçamento da Câmara afirmou na quinta-feira que o Congresso não pode cortar o suporte financeiro para o Serviço de Cidadania e Imigração porque os fundos são próprios da agência, por meio da arrecadação de tributos, e não dependem de doações do Congresso. Alguns republicanos sugeriram alternativas, como entrar com uma ação judicial, mas os líderes não definiram uma estratégia.

Os funcionários da Casa Branca disseram que ainda esperam que o Congresso aprove um projeto próprio de imigração e trabalhe com o presidente em outras questões. A Casa Branca planeja realizar um grande esforço para vender o plano de imigração. Obama vai fazer um discurso nesta sexta-feira, em Las Vegas, e vai viajar na terça-feira para Chicago, onde participa de um evento de imigração. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAimigraçãoBoehner

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.