Reservistas americanos são indiciados por fraude milionária

Três militares da reserva e um prestador de serviços financeiros americano foram indiciados nesta quarta-feira por participarem de um grande esquema de fraude que desviou milhões de dólares de projetos de reconstrução do Iraque em troca de dinheiro, carros luxuosos, jóias e mais coisas de valor.O marido de uma das militares também está sendo acusado de ajudar a importar ilegalmente pelo menos U$ 10 mil para os Estados Unidos. O casal teria usado o dinheiro para reformar a casa.Os três reservistas dos EUA foram os responsáveis por ajudar a supervisionar como a Autoridade Provisória da Coalizão, supervisionada pelos EUA, gastou o que se estima como US$ 26 bilhões, disponíveis para projetos de reconstrução no Iraque. Estiveram nesses cargos em 2003 e 2004O Coronel Curtis G. Whiteford, a Tenente Coronel Debra M. Harrison e o Tenente Coronel Michael B.Wheeler desviaram ao menos US$ 8 milhões a uma companhia de construção e serviços. Em troca, pedirar dinheiro, carros esporte da Nissan, um Cadillac SUV, um relógio Breitling, passagens de avião na classe executiva e outros itens.O prestador de serviços, identificado no processo como Seymour Morris Jr., alegou agir como intermediador entre os militares e a construtora conduzindo o dinheiro e correndo atrás dos bens.Morris é americano e viveu na Romênia. Possui uma empresa de serviços financeiros sediada no Chipre.Semana passada, um ex-prestador de serviçoes do Pentágono foi sentenciado a nove anos de prisão por ajudar a desviar milhões de dólares dos fundos de reestruturação do Iraque para uma companhia operada por Philip H. Bloom, que já se declarou culpado pela fraude e espera a sentença.Os indiciamentos de quarta-feira foram anunciados um dia após do ex-chefe de ocupação do Iraque, Paul Bremer III, não ter explicação para os US$ 12 bilhões que ele tirou do dinheiro para o Iraque. Sua explicação foi de que fez o melhor que pode em meio a uma guerra e alega ter gasto dinheiro do Iraque e não dos EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.