Reservistas que se negam a servir se reúnem em Tel Aviv

Uma primeira reunião de reservistas que se negam a servir nos territórios ocupados foi realizada na terça-feira a portas fechadas em um albergue militar de Tel Aviv. Segundo o porta-voz do grupo, Amit Mashiach, que era formado por cerca de 130 dos 230 soldados e oficiais que assinaram até hoje uma carta de protesto, a cúpula militar tenta agora discutir uma solução caso a caso."Nós, ao contrário, queremos que a questão entre na ordem do dia da sociedade israelense", disse. "Os israelenses devem finalmente ficar a par do preço que pagam pela ocupação dos territórios (palestinos)".Um novo ataque ao grupo de reservistas foi lançado pelo chefe do Estado-Maior israelense, general Shaul Mofaz, que pôs em dúvida a autenticidade das 230 assinaturas de soldados e oficiais na petição. A alegação foi negada veementemente pelo grupo. O objetivo da reunião, segundo Mashiac, foi o de permitir que os signatários se conheçam mutualmente, já que eles são procedentes de unidades militares diversas e vivem em diferentes localidades de Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.