Resgatados 314 sobreviventes do Salam 98; há 900 desaparecidos

Pelo menos 900 pessoas seguem desaparecidas no Mar Vermelho, após o naufrágio na sexta-feira do ferry egípcio Salam 98 com 1.415 pessoas a bordo. Por enquanto, foram resgatadas com vida 314 pessoas e recuperados 185 corpos, segundo os dados do governador da província de Mar Vermelho, Bakr Al-Rashidi. Alguns dos sobreviventes que uma hora e meia após sair do porto saudita de Duba, houve um incêndio na cobertura do Salam 98. Segundo o relato deles, a maior parte das pessoas subiu ao teto do navio, de onde ainda se podia ver o porto saudita. Apesar disso, o capitão do navio decidiu continuar a viagem, explicaram os sobreviventes. Alguns passaram até 25 horas nos botes salva-vidas. O primeiro-ministro egípcio, Ahmed Nazif, viajará à província do Mar Vermelho para coordenar os trabalhos de resgate. Até o momento, o único responsável egípcio que forneceu dados oficiais foi o governador da província, Bakr Al-Rashidi. O Salam 98, fabricado na Itália em 1970, cobria a rota entre o porto saudita de Duba e o egípcio de Safaga, 600 quilômetros ao sudeste de Cairo, onde deveria ter chegado por volta das 2 horas desexta-feira (22h de Brasília de quinta-feira). Por causas ainda desconhecidas, na metade dotrajeto emitiu um aviso de emergência, que só foi recebido pelo Santa Katherina, um navio que cobria o mesmo trajeto mas em direção contrária. O capitão do Santa Katherina disse que recebeu um breve SOS do Salam 98, indicando que o navio corria o risco de afundar rapidamente. O aviso, porém, não foi captado por nenhum dospostos de emergência costeiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.