Thai News Pix / Krit Phromsakla Na Sakolnakorn / AFP
Thai News Pix / Krit Phromsakla Na Sakolnakorn / AFP

Jovens resgatados de caverna farão retiro espiritual na Tailândia

Meninos ficarão por nove dias em um templo como noviços sob os cuidados de seu treinador que já foi monge budista

O Estado de S.Paulo

22 Julho 2018 | 20h26

BANGCOC - A maioria dos 12 meninos que ficaram presos em uma caverna durante duas semanas na Tailândia e deixaram o hospital na quarta-feira fará um retiro espiritual em um templo budista antes de voltar à vida normal, afirmaram neste domingo, 22, as autoridades locais. “Eles realizarão um retiro de nove dias”, declarou o governador de Chaing Rai, Prachon Pratsakul. 

“Onze (dos 12 meninos) serão noviços e seu treinador atuará como monge”, explicou, referindo-se ao técnico de futebol Ekkapol Chantawong, que já foi monge e ensinou os meninos a meditar para manter a calma na caverna até que fossem resgatados, entre os dias 8 e 10 de julho.

Segundo Charoenpol Rattanaweerachon, de 52 anos, parente do treinador EK, como é conhecido, o técnico foi ordenado monge budista aos 10 anos, após a morte do pai. Até os 20 anos, ficou em um templo na Província de Chiang Mai, quando precisou sair para cuidar de sua avó.

Onze meninos e seu treinador de futebol participaram na quinta-feira de uma cerimônia em um templo budista depois que receberem alta médica na quarta-feira.

Fizeram uma série de rituais para que tenham sorte e sejam felizes e também homenagearam o mergulhador tailandês que morreu durante a complexa operação de resgate.

A participação nessa cerimônia budista no templo de Pha That Doi Wao, na fronteira com Mianmar, foi a segunda aparição em público da equipe. As autoridades tailandesas pediram à imprensa que os deixe tranquilos por um mês.

Como aconselharam os terapeutas e psiquiatras, os garotos devem voltar à escola e à vida normal o mais rápido possível.

Em entrevista coletiva, após sair do hospital, eles contaram como sobreviveram sem comer, bebendo apenas água das estalactites por nove dias, sem qualquer contato com o exterior.

Os membros da equipe de futebol Javalis Selvagens ficaram presos em 23 de junho na caverna de Tham Luang, uma das maiores da Tailândia, quando decidiram fazer uma excursão após o treino. Uma tromba d’água alagou o complexo de cavernas, impedindo sua saída.

Filmes

O governo disse ontem que quer supervisionar os filmes, documentários e vídeos relacionados aos 12 meninos e seu treinador, cujo drama atraiu o interesse mundial e a atenção dos cineastas estrangeiros. Com os meninos de volta para casa, as atenções se voltaram para o enfoque da mídia no pós-resgate. Houve críticas a várias empresas de notícias, a maioria estrangeiras, que teriam ignorado o pedido oficial de deixar os garotos em paz por ao menos um mês. / AFP e AP

Mais conteúdo sobre:
Tailândia [Ásia] caverna Budismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.