Thailand Government Spokesman Bureau / AP
Thailand Government Spokesman Bureau / AP

Resgatados na Tailândia lamentam e choram a morte de mergulhador

Autoridades dizem que meninos choraram ao saber que voluntário morreu; todos devem ter alta na quinta-feira, 19

O Estado de S.Paulo

15 Julho 2018 | 21h54

CHIANG RAI, TAILÂNDIA - As doze crianças e o técnico de futebol resgatados nesta semana do complexo de cavernas Tham Luang Nang Non depois de ficarem presos por 17 na Tailândia lamentaram a morte de um mergulhador nas operações de socorro, informou no domingo, 15, o ministério da Saúde.

+ Time tailandês foi fixado em macas durante mergulho

Os meninos, que têm entre 11 e 16 anosm, só souberam no sábado que, em 6 de julho, Saman Kunan, um mergulhador aposentado da Marinha tailandesa que trabalhava como voluntário no resgate, morreu quando tentava estabelecer uma linha de fornecimento de oxigênio na caverna em que estavam.

“Todos choraram e expressaram seus pêsames escrevendo mensagens em um desenho do capitão”, contou o secretário permanente do Ministério da Saúde, Jedsada Chokdamrongsuk.

Saman Kunan, triatleta e mergulhador, deixou a Marinha em 2006 e trabalhava no aeroporto de Suvarnabhumi, em Bangcoc. Quando soube dos meninos presos, ele se apresentou como voluntário. 

A boa notícia do fim de semana foi que os 12 meninos e o técnico deverão deixar o hospital na quinta-feira, informaram os médicos. No sábado, os meninos voltaram a se alimentar e novas fotos deles no hospital foram divulgadas.

+ Hospital divulga imagens de garotos resgatados de caverna inundada na Tailândia

A equipe médica disse que oferecerá apoio psicológico para que o grupo consiga lidar com a imprensa e o grande interesse que sua história despertou em todo mundo. “Os 13 ‘javalis selvagens’ estão em boa condição física e com bom ânimo”, afirmou o ministro da Saúde Pública, Piyasakol Sakolsattayatorn. “Eles devem receber alta na quinta-feira”, acrescentou. Javalis Selvagens é o nome do time de futebol do grupo.

Os meninos e seus pais receberam aconselhamento para que passem a maior parte do tempo com a família e os amigos e não deem entrevistas, pois isso poderá causar sintomas de estresse traumático.

Na semana passada, a produtora Pure Flix anunciou que a missão de resgate vai virar filme. O sócio-diretor Michael Scott, que mora na Tailândia e estava no local enquanto os meninos estavam sendo levados para um lugar seguro, fez o anúncio na terça-feira no Twitter.

O cofundador da Pure Flix, David A.R. White, disse ao The Wall Street Journal que a empresa conversa com atores, escritores e potenciais investidores. “A Pure Flix se junta ao restante do mundo para agradecer a Deus por responder às orações pelo resgate bem-sucedido”, disse a empresa, em nota. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Tailândia [Ásia]caverna

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.