Resgate busca soterrados há uma semana em mina chinesa

As equipes de resgate continuam neste domingo os trabalhos de busca dos 24 trabalhadores soterrados em uma mina da província de Shanxi, no norte da China, desde o dia 5. Na mina de Jiaojiazhai, na localidade de Xinzhou, permanece ativado o dispositivo de resgate com a esperança, cada vez menor, de encontrar os 24 trabalhadores soterrados após a explosão de gás do último domingo, na qual morreram outras 23 pessoas. Segundo as investigações preliminares, a explosão foi causada por "erros humanos", pois a mina deveria ter sido evacuada depois que os ventiladores deixaram de funcionar, o que causou um acúmulo excessivo de gás. O responsável pela missão de resgate enviado pelo Conselho de Estado, Li Yizhong, afirmou que "a ignorância nas medidas de segurança e a gestão caótica do dono da mina" provocaram o acidente, informou a agência estatal "Xinhua". "Estou surpreso por ter achado vários fatores de risco na mina que não foram informados aos trabalhadores", lamentou Li, chefe da Administração Estatal de Segurança Laboral. Ele defendeu uma punição severa a cada um dos responsáveis pela companhia mineira, o que servirá de lição para o restante dos proprietários mineiros. Com oito mil mortos ao ano, seis mil deles em poços de carvão, as minas chinesas são as mais perigosas do mundo.

Agencia Estado,

12 Novembro 2006 | 02h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.