Resgate de francês na Somália termina com refém morto

Enquanto lança a ofensiva no Mali, o governo da França reconheceu ontem que a operação para libertar um refém mantido por sequestradores na Somália, no último sábado, fracassou. O resgate havia sido montado pelos serviços secretos e pelas Forças Armadas, mas resultou na execução do refém e na morte de dois agentes franceses.

O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2013 | 02h05

O ataque havia sido organizado para tentar libertar um agente do serviço secreto francês identificado como Denis Allex, detido desde 2009 por radicais islâmicos na Somália. Na noite de sábado, seis helicópteros das Forças Armadas da França decolaram de uma embarcação francesa e atacaram o local do cativeiro, na cidade de Bulomarer.

Os islamistas foram advertidos pela população da passagem dos helicópteros e estavam preparados para a ofensiva. "Os serviços franceses procuraram durante três anos todos os meios que permitissem negociar sua liberação. Ele estava detido em condições subumanas", justificou o ministro da Defesa, Jean-Yves Le Drian. Segundo o ministro, o poder de fogo dos extremistas foi "sem dúvida subestimado". / A.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.