Resgate de mineiros mexicanos é suspenso

As equipes de resgate que trabalhavam nas operações de busca por 65 mineiros mexicanos presos desde domingo passado suspenderam seus esforços devido ao acúmulo de gases perigosos no interior da mina onde ocorreu a tragédia, disseram funcionários do governo e da companhia que controlava a mina.A notícia causou revolta entre os familiares e amigos dos trabalhadores, reunidos na entrada da mina. Indignados, eles denunciavam que seus entes queridos estavam sendo abandonados. Um grupo de mulheres atacou os funcionários, gritando com eles e arrancando-lhes peças de roupa."Não podemos arriscar mais vidas. Não podemos arriscar uma nova explosão com gente lá dentro. Estamos nos dedicando ao máximo para solucionar esse problema", declarou Xavier García, presidente da Industrial Minera México, subsidiária do Grupo México, que controla a mina.O Grupo México divulgou hoje um comunicado segundo o qual os 65 mineiros seriam compensados com dez anos de salário caso fossem encontrados vivos, o que daria em torno de 750.000 pesos, quantia equivalente a aproximadamente R$ 160.000. Pouco depois, um porta-voz da companhia informou que os familiares das vítimas receberão a indenização caso os mineiros não fossem encontrados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.