Residência de Gbabo sofre ataque na Costa do Marfim

Helicópteros pertencentes às tropas da Organização das Nações Unidas (ONU) e da França na Costa do Marfim dispararam foguetes contra a casa de Laurent Gbagbo, que se recusa a abandonar o poder no país. O ataque foi testemunhado por dois moradores próximos à residência e confirmado pelo assessor de Gbabo na França, Toussaint Alain.

AE, Agência Estado

10 de abril de 2011 | 15h49

Após passar uma década comandando a Costa do Marfim, Gbabo se recusa a deixar o cargo de presidente do país, mesmo depois de a ONU ter determinado que ele perdeu as eleições de novembro para Alassane Ouattara. Gbabo estaria escondido dentro de um bunker localizado em sua própria residência.

Após quatro meses de negociações diplomáticas, Ouattara decidiu permitir que combatentes de um ex-grupo rebelde realizassem uma intervenção militar. Com isso, ele conseguiu tomar várias cidades da Costa do Marfim em questão de dias, mas encontrou obstáculos em Abidjã, a maior cidade do país, onde está localizada a residência de Gbabo.

Ontem, a ONU afirmou que forças leais a Gbabo posicionaram-se perto do Hotel Golf, que está servindo como quartel-general de Ouattara em Abidjã, e atacaram o local, deixando um dos integrantes das forças de paz ferido. Massere Toure, assessor de comunicação de Ouattara, negou que o hotel tenha sido o alvo específico do ataque, acrescentando que as forças leais a Gbabo tinham como alvo uma patrulha que estava próxima à região, mas confirmou que balas perdidas e pelo menos um morteiro acabaram acertando a área do hotel. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.