"Respeitamos o papa" e todos os que querem paz, diz Ahmadinejad

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, expressou seu respeito ao papa e a todos os que querem a paz, ao ser questionado sobre a polêmica iniciada com declarações do papa Bento XVI sobre o Islã e o profeta Maomé. Em entrevista coletiva conjunta com o presidente da Venezuela,Hugo Chávez, o dirigente iraniano se limitou a comentar que havia"escutado" que as palavras do papa foram "modificadas". "Nós respeitamos o papa e todos os que estão interessados na paze na justiça", afirmou. "Muçulmanos, cristãos ou judeus; todos, se verdadeiramente sãoseguidores de Deus, são partidários da paz e da irmandade", disse. Ahmadinejad, que conclui uma visita de dois dias à Venezuela, nãofez mais comentários acerca do discurso do papa, que suscitou fortesreações de protesto no mundo muçulmano. Ele acrescentou, no entanto, que "as guerras do século XX foramcausadas pela América do Norte e por países europeus". "Parte do governo americano e de alguns países europeus não sãocristãos, pois Cristo é profeta da paz e da humanidade", afirmou.

Agencia Estado,

19 de setembro de 2006 | 08h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.