Responsável pelo atentado ao McDonalds da China não morreu

O autor do atentado a bomba em uma loja do McDonalds na cidade de Xian, na China, no último sábado, não foi um dos dois mortos como imaginou as autoridades locais, informou um jornal local. Duas pessoas morreram e 27 ficaram feridas.Inicialmente disseram que foi atentado suicida , mas as investigações encontraram um temporizador e um detonador no local, o que indica que o autor do ataque controlou a explosão a distância. No dia seguinte, a polícia recebeu um telefonema anônimo de uma mulher atribuindo a responsabilidade do atentado e afirmando que uma outra explosão aconteceria em um discoteca da cidade. A polícia evacuou o local, mas não encontrou nada. Só no fim de semana passado, ocorreram 24 atentados com bomba na China, onde sete pessoas morreram. Alguns meios de comunicação dizem que as ações são cometidas ao grupo separatista de minoria muçulmana Uigir. Já as autoridades descartam essa idéia e crêem que as explosões são atos isolados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.