Ressentimento pode ter levado soldado americano a jogar granadas

Um soldado dos EUA foi detido hoje sob suspeita de ter jogado granadas dentro de três barracas num centro de comando do Exército no Kuwait, matando um outro militar e ferindo outros 15, três deles gravemente. O motivo do ataque seria "mais provavelmente ressentimento", disse Max Blumenfeld, um porta-voz do Exército dos EUA. Ele não entrou em detalhes. O suspeito, descoberto escondido em um bunker, é um engenheiro de uma companhia de engenharia na 101ª Divisão Aerotransportada, informou o coronel Frederick B. Hodges, comandante da 1ª Brigada. O nome do acusado não foi divulgado e ele ainda não foi formalmente acusado. O nome do soldado morto não será divulgado até que seus familiares tenham sido informados. O ataque ocorreu no centro de comando no Camp Pennsylvania à 1h30 da madrugada (horário local). Dois tradutores kuwaitianos foram interrogados e liberados. Primeiramente, os militares americanos consideraram que havia se tratado de um atentado terrorista. "Quando tudo aconteceu procuramos dar conta de todos", informou Hodges. "Percebemos que estavam faltando quatro granadas e esse sargento estava desaparecido".Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.