'Resto do mundo' torce por Obama, mostra pesquisa

Se o mundo votasse na eleiçãopresidencial norte-americana, o democrata Barack Obama jáestaria praticamente eleito, em vez de estar virtualmenteempatado com o republicano John McCain, segundo pesquisadivulgada na quarta-feira pela emissora pública britânica BBC. Em todos os outros 22 países incluídos na pesquisa, Obama éo candidato preferido, e em 17 deles há expectativa de melhorianas relações dos EUA com o mundo em caso de vitória do senador. Mais de 22 mil pessoas foram ouvidas pelo institutoGlobeScan em países de diversos continentes, inclusive oBrasil. Na média, Obama teve 49 por cento de apoio, contra 12por cento para McCain, e 40 por cento não souberam responder. A margem em favor do democrata variou de 9 pontospercentuais na Índia a 82 por cento no Quênia, terra do pai docandidato. "Um grande número de pessoas no mundo claramente gosta doque Barack Obama representa", disse Doug Miller, presidente daGlobeScan. "Diante de como é negativa a imagem atual da América, é bemnotável que só uma em cada cinco pessoas considere que umapresidência McCain iria melhorar as relações com o mundo emcomparação ao governo Bush." Nos EUA, três pesquisas feitas desde o final da convençãorepublicana, na semana passada, mostram McCain entre 1 e 4pontos percentuais à frente -- dentro da margem de erro. Emoutras duas, há empate total. Em vários países da Otan há um forte otimismo com apolítica externa do eventual governo Obama, como Canadá (69 porcento de expectativa positiva), França (62), Alemanha (61),Grã-Bretanha (54) e Itália (64). Esse sentimento é visto tambémna Austrália (62 por cento), Quênia (87 por cento) e Nigéria(71 por cento). Numa pesquisa semelhante feita pelo GlobeScan para a BBC em2004, o democrata John Kerry vencia Bush em 30 de 35 países.Filipinas, Nigéria e Polônia, que há quatro anos "elegeram"Bush, agora preferem Obama. As 23.531 entrevistas foram feitas pessoalmente ou portelefone entre julho e agosto nos seguintes países: Alemanha,Austrália, Brasil, Canadá, China, Cingapura, Egito, EmiradosÁrabes, Estados Unidos, França, Filipinas, Grã-Bretanha, Índia,Indonésia, Itália, Líbano, México, Nigéria, Panamá, Polônia,Quênia, Rússia e Turquia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.