Restos humanos do exército de Napoleão são exumados na Lituânia

Uma centena de restosesqueléticos de homens do exército de Napoleão, que invadiu a Rússia em 1812, foram desenterrados em uma nova tumba na Lituânia. Eles se somam aos 2.000 encontrados no ano passado. Os arqueólogos disseram nesta sexta-feira que os últimosrestos foram encontrados a cerca de 100 metros da fossa comumdescoberta no ano passado por trabalhadores em um conjuntohabitacional de Vilnius, a capital da ex-república soviética nacosta do Mar Báltico. Várias caveiras e outros ossos eram vistos sobre a areia e também apareceram retalhos e botões de uniformes franceses nolugar - que, segundo o arqueólogo Arunas Barkus, está próximo aum novo edifício de apartamentos. O estudo dos cadáveres encontrados ajuda a explicar comopereceram os soldados em uma das campanhas militares maiscatastróficas da história. Quando o exército de Napoleão cruzou a Lituânia rumo aMoscou, tinha meio milhão de homens - uma das maiores forçasexpedicionárias jamais reunidas. Seis meses depois, apenas40.000 homens voltaram a Vilnius em meio a um gélido inverno.Destes, apenas a metade sobreviveu. Em seu avanço sobre as tropas napoleônicas, os russosnão podiam abrir fossas na terra gelada, por isso atirarammilhares de cadáveres em uma trincheira anteriormente cavadapelos próprios franceses - descoberta pelos pedreiros 190 anosdepois. Barkus disse que as duas fossas faziam parte do mesmosistema de trincheiras. A zona fez parte de uma base militar do ExércitoVermelho até a Lituânia recuperar sua independência após a quedada União Soviética em 1991.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.