AFP PHOTO / DANIEL SORABJI
AFP PHOTO / DANIEL SORABJI

Políticos europeus reagem à derrota de May e dizem que ela ‘perdeu sua aposta’

Comissário do Orçamento da União Europeia afirmou que o Reino Unido precisará formar um governo antes de iniciar as negociações de saída do Brexit e alertou para novas incertezas após resultado das eleições

O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2017 | 04h34
Atualizado 09 de junho de 2017 | 08h42

LONDRES - Após o resultado das eleições gerais no Reino Unido realizadas na quinta-feira 8, que tirou a maioria absoluta do Partido Conservador da premiê Theresa May, representantes da União Europeia (UE) deram declarações sobre o futuro do país e sua permanência no bloco.

O comissário do Orçamento da União Europeia, Günther Oettinger, afirmou que o Reino Unido precisará formar um governo antes de iniciar as negociações de saída do bloco. Ele também alertou para novas incertezas formadas após o resultado das eleições.

"Nós estamos prontos. Seremos duros, mas justos nas nossas negociações", afirmou em entrevista à rádio Deutschlandfunk. "A capacidade do outro lado de começar as conversas terá de ficar clara nos próximos dias, já que, se não há governo, não há negociações.”

Oettinger disse que a UE não deve mudar sua abordagem em relação às negociações e ressaltou que não está claro se o resultado das eleições significa que o Reino Unido mudará de ideia sobre o Brexit.

Já o comissário de Economia da UE, Pierre Moscovici, afirmou que as negociações para a saída do Reino Unido do bloco vão iniciar conforme o planejado, mas o tom pode mudar. "Provavelmente haverá impacto no espírito das negociações, mas isso não coloca em questão a abertura delas", afirmou em entrevista à rádio francesa Europe 1.

Ele disse que o líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, fez campanha a favor de um Brexit mais "suave" do que o proposto por May. "Ela perdeu sua aposta, então está numa situação mais complicada.”

O especialista em política Ian Begg, da London School of Economics, afirmou: "Será um desastre para Theresa May. Sua liderança será questionada e receberá pressões para renunciar". O ex-ministro das Finanças conservador George Osborne reconheceu que é um resultado "totalmente catastrófico para os conservadores e para Theresa May".

As manchetes dos jornais desta sexta-feira refletem a surpresa com o resultado das eleições: "Por um fio", diz o Daily Mirror; "Mayhem" ("Caos"),traz o The Sun fazendo um jogo de palavras com o sobrenome da premiê; "Choque" para May, está nas manchetes do Guardian e do Daily Telegraph. / AP, AFP, e DOW JONES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.