Heinz-Peter Bader/REUTERS
Heinz-Peter Bader/REUTERS

Resultado de eleição confirma ascensão da ultradireita na Áustria

Partido da Liberdade conquistou 21.4% do eleitorado e se confirmou como a terceira força do país

O Estado de S. Paulo,

30 Setembro 2013 | 11h17

Apesar do Partido Social-democrata da Áustria (SPO, em alemão) ter vencido a eleição de domingo, com 27.1% dos votos, seguido pelo Partido Popular Austríaco (OVP), com 23.8%, o destaque foi a votação obtida pelo Partido da Liberdade (FPO), da extrema direita, que alcançou 21.4% do eleitorado, conquistou mais oito cadeiras no parlamento e confirmou seu crescimento em relação ao resultado de 2008.

Nesta segunda-feira (30), o líder do SPO e chanceler do país, Werner Faymann, afirmou que só vê como opção de governo uma renovação da "grande coalizão" formada com o OVP, excluindo uma possibilidade de aliança com o FPO, como propuseram alguns analistas.

De acordo com a emissora publica ORF, Faymann reconheceu, no entanto, que a renovação da atual coalizão vai exigir "uma maior disciplina comum", mais proximidade com as pessoas e uma forma diferente de fazer as coisas. O presidente da Áustria, Heinz Fischer, também apoiou a formação de um governo bipartidário, indicando que uma coalizão, por si só, é uma "aliança complexa" e seria melhor não complicar o cenário político.

Uma pesquisa do canal de TV ATV indicou que uma coalizão entre populares e socialistas seria a preferida dos austríacos, com 23% dos votos. Um governo de centro-esquerda, indicado por 16% dos entrevistados e uma formação de direita com OVP-FPO-Stronach (15%) seriam as outras opções. / EFE e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Áustriaultradireita

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.