Resultados oficiais confirmam vitória de Alan García

O social-democrata Alan García será o sucessor de Alejandro Toledo na Presidência do Peru. Segundo os primeiros dados oficiais, García vencer osegundo turno das eleições com 55,4% dos votos. Com 77,3% dos votos apurados, o Escritório Nacional de Processos Eleitorais informou que o nacionalista Ollanta Humala, que já admitiu a derrota obteve 44,5% dos sufrágios. Com estes dados, divulgados pela chefe do escritório, Magdalena Chu, fica confirmada a vitória do ex-presidente García, que governouo Peru entre 1985 e 1990 e agora voltará ao poder. Apesar do resultado, García venceu em apenas nove dos 24 departamentos do país, os mais povoados, e obteve a maioria dos votos em Lima, onde se concentra um terço dos eleitores. O ex-comandante Humala ganhou em 15 departamentos do sul andino e da selva peruana, as áreas mais pobres do Peru e as menos povoadas.García retorna à presidência de um país que ele deixou em situação caótica durante seu primeiro mandato (1985 e 1990). O resultado representa uma dura derrota ao presidente venezuelano Hugo Chávez, que interferiu diretamente na eleição peruana ao apoiar Humala e entrar num tiroteio verbal com García.HumalaO ex-comandante Ollanta Humala admitiu sua derrota nas eleições presidenciais de domingo, mas se mostrou satisfeito porque o nacionalismo conseguiu, segundo ele, mudar "o mapa político noPeru". "Conforme nosso compromisso democrático, reconhecemos os resultados e cumprimentamos as forças que concorreram representadaspelo senhor Alan García", afirmou Humala após a divulgação dos resultados oficiais que deram a vitória ao social-democrata. "Hoje começa a grande transformação", disse, ao ressaltar que "não se pode negar que o mapa político mudou no Peru", referindo-se aos resultados de seu partido, o União pelo Peru (UPP), no primeiro turno, quando se tornou a primeira força política do Congresso. A UPP obteve 45 das 120 cadeiras da Câmara Legislativa nas eleições de 9 de abril, contra 39 do Partido Aprista Peruano, embora nenhum deles conte com maioria absoluta. "Vamos trabalhar decididamente para cumprir e fazer cumprir asgrandes promessas que foram feitas na campanha eleitoral", acrescentou. Humala também acredita que as eleições foram "uma vitória da democracia e do povo peruano" e ressaltou suas conquistas em apenas um ano na política. "Acho que esta é uma noite de vitória porque conseguimos em tão pouco tempo despertar consciências", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.