Resumo Mundo Reuters

A França retomou o contato com líderes daguerrilha da Colômbia que mantém como refém a franco-colombianaIngrid Betancourt para tentar conseguir sua libertação,informaram fontes da Presidência francesa nesta quinta-feira. Obama renuncia a financiamento público para campanha WASHINGTON (Reuters) - O candidato democrata Barack Obamadisse, nesta quinta-feira, que decidiu não buscar financiamentopúblico para sua campanha eleitoral contra o republicano JohnMcCain pela Presidência dos Estados Unidos. Violência sexual é problema de segurança, diz Rice à ONU NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - O mundo reconheceu que aviolência contra mulheres durante conflitos afeta a segurança ea estabilidade das nações, disse a secretária de Estado dosEUA, Condoleezza Rice, ao Conselho de Segurança da ONU naquinta-feira. Nepal impede protesto de tibetanos contra a China e prende600 KATMANDU (Reuters) - Centenas de exilados tibetanos,incluindo freiras e monges, gritaram slogans contra a China eentraram em choque com a polícia em Katmandu nestaquinta-feira, depois foram forçados a entrar em cde o Conselho de Segurança este mês,escolheu a violência sexual para seu chamado debate temático.Além de Condoleezza Rice, vários ministros representaram seuspaíses, no lugar dos embaixadores que normalmente o fazem. Ativistas dos direitos humanos dizem que os estupros jádeixaram de ser um mero subproduto das guerras e se converteramem tática empregada propositalmente para desmoralizar eintimidar comunidades. Eles citam como exemplos as guerras naantiga Iugoslávia, na região de Darfur, no Sudão, e naRepública Democrática do Congo. Rice também citou o caso de Mianmar, onde, afirmou,soldados regularmente violentam mulheres e meninas de apenas 8anos de idade. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse ao conselhoque a violência contra as mulheres "alcançou proporçõespandêmicas e indizíveis em algumas sociedades que procuramrecuperar-se de conflitos." A resolução que está sendo debatida diz que a violênciasexual é, em alguns casos, "uma tática de guerra empregada parahumilhar, dominar, atemorizar, dispersar e/ou deslocar à forçaos membros civis de uma comunidade ou grupo étnico".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.