Retaliação israelense preocupa Annan

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Kofi Annan, manifestou-se "profundamente perturbado" pela resposta desproporcional de Israel contra um ataque à bomba cometido nesta sexta-feira em Netanya, nas proximidades de Tel Aviv. O ataque de um palestino suicida - no qual morreram o atacante e seis israelenses e dezenas de pessoas ficaram feridas - gerou o bombardeio de caças F-16 e navios contra um posto da guarda costeira palestina em Beit Lahia, no norte da Faixa de Gaza. "Enquanto reiteradamente deixei clara minha total condenação ao terrorismo de qualquer proporção - e volto a afirmar isto hoje -, essa resposta só pode ser considerada excessiva e na direção errada", opinou Annan. Ele considerou que o efeito prático da represália israelense "será o inevitável aumento da amargura no lado palestino". Em um comunicado divulgado por sua assessoria de imprensa, Annan sustentou que "este é um momento para a moderação de todas as partes" envolvidas no conflito. "Todos precisam entender que não é possível haver uma solução militar para este conflito e que a única rota de fuga para a atual escalada passa pelo fim da violência e pela retomada das negociações com vistas ao estabelecimento de uma paz ampla, com base nas relevantes resoluções das Nações Unidas", concluiu o secretário-geral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.