Retirada americana do Iraque é uma questão-chave, diz Annan

Na avaliação do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Kofi Annan, a maioria dos líderes do Oriente Médio considera a invasão do Iraque, comandada pelos Estados Unidos, e suas conseqüências, um desastre para a região. Em entrevista na sede da ONU, em Nova York, depois de sua recente viagem ao Oriente Médio, Annan afirmou que a escolha do momento para a retirada americana é agora uma "questão-chave".Annan disse que alguns líderes querem que os EUA permaneçam e estabilizem o Iraque, enquanto outros preferem uma retirada imediata. Annan também apelou ao Irã para que trabalhe com a comunidade internacional para resolver a crise em torno de seu programa nuclear. Os EUA acusam Teerã de tentar fabricar uma bomba nuclear.A Casa Branca afirmou que discorda dessa avaliação dos eventos no Iraque. O porta-voz Tony Snow admitiu que houve intranqüilidade no Iraque, mas ressaltou as tentativas de estabelecer a democracia no Líbano e nas áreas palestinas. Disse ainda que a democracia também estava ganhando consistência no Afeganistão e no Iraque. Impasse americanoAo falar sobre seu roteiro no Oriente Médio, Annan disse que muitos líderes com os quais esteve reunido acreditam que a invasão do Iraque desestabilizou a região. O secretário-geral da ONU afirmou, no entanto, que muitos líderes queriam a permanência dos americanos no Iraque até as condições de segurança melhorarem, argumentando que "tendo criado o problema, eles não podem ir embora".Annan disse que outros líderes, especialmente no Irã, pensam que "a presença dos EUA é um problema e que os EUA deveriam partir. E se os EUA decidissem ir embora, eles iriam ajudá-los.Então, de certa maneira, os EUA encontram-se em uma posição na qual não podem ficar nem podem partir", disse Annan."Eu acredito que, se os EUA quiserem partir, o momento escolhido deve ser o melhor e a saída deve ser planejada de tal maneira que não leve a uma intranqüilidade ou uma violência ainda maiores na região."Em relação ao Irã, Annan afirmou ter detectado uma pequena mudança na abordagem de Teerã. Disse também acreditar que os iranianos estão mais abertos à idéia de suspender suas atividades de enriquecimento de urânio, como parte de negociações."Não podemos suportar uma nova crise na região. Eu apelo aos iranianos para que afastem a nuvem de incerteza que ronda seu programa", disse Annan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.