Retirada britânica do Iraque não influirá em missão japonesa

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, afirmou nesta quinta-feira que seu país tomará suas próprias decisões sobre a missão no Iraque, independentemente da retirada parcial de tropas anunciada na quarta-feira pelo Reino Unido.A participação do Japão no Iraque, com apoio logístico da força aérea, é regulada por uma norma que permitiu uma missão inicial de quatro anos. O prazo expira dia 31 de julho, mas o governo japonês deverá aprovar a ampliação por mais dois anos.O primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, anunciou umaredução nas tropas de seu país no Iraque em 1.600 soldados. Mas o governo japonês não considerou a medida uma "retirada"."Não é uma retirada, mas uma redução de tropas. Acho que ogoverno britânico tomou sua própria decisão", disse nesta quinta-feira Shinzo Abe a jornalistas, segundo a agência Kyodo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.