Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Retirados hondurenhos da frente da embaixada brasileira

A polícia e o Exército hondurenhos desalojaram hoje milhares de manifestantes que permaneciam na frente da embaixada do Brasil em Tegucigalpa. A multidão apoiava o deposto presidente Manuel Zelaya, que buscou abrigo ontem no local e ali permanece. "A zona está sob o controle das autoridades", afirmou um porta-voz da Secretaria de Segurança. Nas proximidades havia dezenas de motocicletas e diversos ônibus e carros danificados, muitos tiveram os vidros quebrados durante os protestos.

AE-AP, Agencia Estado

22 de setembro de 2009 | 10h27

Deposto em 28 de junho, Zelaya retornou ontem a Tegucigalpa e pretende retomar o cargo. Porém o governo do presidente de facto Roberto Micheletti se recusa a permitir sua volta ao poder. Micheletti pediu que o Brasil entregue Zelaya e afirmou que o País será responsável por qualquer ato de violência que possa ocorrer perto da representação diplomática.

O presidente hondurenho foi deposto em um golpe militar quando tentava aprovar alterações na Constituição. O Judiciário, o Parlamento e parte da população eram contrários à medida, por considerá-la inconstitucional.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasgolpeBrasilembaixada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.