Retomada parcialmente a atividade do porto de Haifa

A atividade no porto de Hezbollah , centro nevrálgico da indústria pesada e das exportações de Israel, foi retomada parcialmente nesta segunda, apesar do temor de um novo ataque com foguetes por parte da milícia xiita libanesa Hezbollah.O Ministério do Transporte, comandado pelo ex-general Shaul Mofaz, ordenou o reinício das atividades de forma parcial após uma detenção brusca absoluta de mais de 24 horas que prejudicou a economia israelense.Um submarino e dois cargueiros com contêineres entraram no porto, depois de, neste domingo, serem evacuados para o alto mar todos os navios devido ao lançamento dos foguetes que mataram oito operários de ferrovias em Haifa.A direção do porto reduziu as cargas de produtos perigosos e tirou de seus armazéns todos os materiais inflamáveis e químicos, informou seu diretor."O dano por enquanto é controlável, pois a maioria da atividade foi transferida ao porto de Ashdod", ao sul de Tel Aviv, disse.O número de indústrias fechadas na baía de Haifa passa de 300, o que representa um golpe considerável para a economia do país.Israel instalou no sábado três baterias de foguetes "Patriot" em torno de todas as instalações estratégicas em Haifa para protegê-las de um ataque com foguetes.No entanto, em declarações ao jornal "Jerusalem Post", um analista em energia assegurou que qualquer fonte de calor, por menor que seja, pode provocar uma explosão das instalações mais delicadas.Nas proximidades do porto há dois grandes campos de depósitos de combustíveis, além de uma refinaria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.