Ivan Alvarado/Reuters
Ivan Alvarado/Reuters

Retrospectiva 2011: Protestos estudantis eclodem no Chile

Insatisfação com custos e qualidade da educação provocou levante; estudantes enfrentaram repressão

estadão.com.br,

20 de dezembro de 2011 | 21h47

SANTIAGO, CHILE - O presidente chileno Sebastián Piñera, eleito em 2010, ganhou grande popularidade com o episódio dos 33 mineiros resgatados de dentro de uma montanha após um acidente. O ano de 2011, contudo, foi repleto de desafios para o novo governo.

 

Veja também:
especialESPECIAL: 
Veja a retrospectiva da Internacional
tabela ESPECIAL: Veja a retrospectiva de 2011

 

Desde maio, o movimento estudantil se mobiliza e protesta por reformas no sistema educacional do país, o que tem gerado enfrentamentos violentos com as forças de segurança.

 

Insatisfeitos com a qualidade - e os custos - da educação, estudantes chilenos foram às ruas das principais cidades do país exigindo o fim do lucro das instituições de ensino e escolas de qualidade e gratuitas.

 

Jovens universitários e secundaristas ganharam a atenção e o apoio de várias classes do país, inclusive dos professores.

 

O barulho dos estudantes chilenos foi tanto que Camila Vallejo, ex-presidente da Federação de Estudantes da Universidade do Chile e uma das caras mais conhecidas dos protestos na nação sul-americana, foi eleita a personalidade do ano em uma pesquisa feita pelo jornal britânico The Guardian, com surpreendentes 78% dos votos dos leitores do diário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.