Yomiuri/Reuters
Yomiuri/Reuters

Retrospectiva 2011: Terremoto e tsunami matam mais de 20 mil no Japão

Pior onda de tremores da história do país gerou profunda crise nuclear e impasse político interno

estadão.com.br,

20 de dezembro de 2011 | 21h26

COSTA NORDESTE DO JAPÃO, 11 DE MARÇO - O tremor de magnitude 8,9 graus na escala Richter foi o 7º pior na história e o pior já registrado na história do Japão. Além de matar e desabrigar milhares e causar destruição e danos estruturais, a tragédia mergulhou o país em uma terrível crise nuclear e, mais tarde, em um impasse político.

 

Veja também:

especialINFOGRÁFICO: Entenda o terremoto do Japão

especialINFOGRÁFICO: A crise nuclear japonesa

especialESPECIAL: Veja a retrospectiva da Internacional
tabela ESPECIAL: Veja a retrospectiva de 2011

 

O forte terremoto ocorreu na costa nordeste do Japão e gerou um tsunami que chegou a até dez metros de altura e destruiu parte das cidades costeiras do país. Carros e barcos foram arrastados pela onda gigante que rompeu as barreiras de proteção de algumas localidades.

 

Cerca de 600 réplicas de mais de 5 graus de magnitude sacudiram o Japão depois do terremoto. Juntas, as catástrofes deixaram mais de 20 mil mortos ou desaparecidos. Além disso, o governo do premiê Naoto Kan, criticado pela lenta resposta dada às tragédias e pela situação ruim da economia, caiu.

 

O tsunami provocado pelo terremoto danificou seriamente a central de Fukushima, ocasionando o segundo pior desastre nuclear da história. A radiação foi controlada somente em dezembro, quando as temperaturas da central nuclear atingiram menos de 100ºC, estabilizando os reatores. A reconstrução do país após a catástrofe já custou cerca de US$ 300 bilhões às autoridades do Japão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.