Réu de atentados de Mumbai faz confissão surpreendente

O único militante que sobreviveu aos atentados de novembro passado em Mumbai fez uma surpreendente confissão na segunda-feira, admitindo ter participado da ação que durou três dias, deixou 166 mortos e provocou uma nova onda de tensão entre Índia e Paquistão.

RINA CHANDRAN, REUTERS

20 de julho de 2009 | 18h08

O cidadão paquistanês Mohammad Ajmal Kasab, 21 anos, havia sido indiciado por 86 crimes, inclusive homicídio e guerra contra a Índia.

De acordo com o relato feito pelo promotor Ujjwal Nikam a jornalistas, durante um interrogatório rotineiro de testemunhas na segunda-feira Kasab se levantou e disse ao tribunal em Mumbai: "Tenho algo a dizer. Quero confessar".

Ele então gravou um depoimento de três horas relatando suas ações, segundo autoridades.

"Ele confessou seu papel e o fato de que esteve envolvido nos ataques que mataram tanta gente (...), o planejamento e a execução", disse o investigador policial Rakesh Maria à Reuters.

Kasab, que em maio se declarara inocente, agora pode ser condenado à morte.

Entre os dias 26 e 28 de novembro, dez militantes islâmicos atacaram dois hotéis de luxo, um centro judaico e uma estação de trens em Mumbai. Kasab, único militante sobrevivente, foi um dos 38 indiciados pelo ataque.

Tudo o que sabemos sobre:
INDIAMUMBAICONFISSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.